terça-feira, 11 de novembro de 2008

A Mulher por... Tamara de Lempicka

Mulher adormecida (1935)
Lempicka, Tamara de (Polónia)




A minha cachopa sabe a chocolate
Não sei de mulher que melhor me trate
Seus olhos dão mais luz que uma janela
Trança amarela
Traz
A balançar cá p´ró rapaz.

A minha cachopa sabe a chocolate
Só a dormir é que diz disparate
Falta ao respeito com uma gargalhada
Fala de nada
E tudo
Deixa-me embasbacado e mudo.

Roubou-me um beijo e eu paguei o resgate
Assaltou casas nos meus seis sentidos
Dois foragidos
Fomos Desta certeza agora somos.

Anda cachopa
Puxa o corpo p´ró mar
Anda cachopa
Puxa a filha p´ró ar.

A minha cachopa sabe a chocolate
Quem não a conhece amor deste quilate
Não faz ideia da vida que dá
Ao deus dará viveu
Perdido no que não é seu.

Anda cachopa
Puxa o corpo p´ró mar
Anda cachopa
Puxa a filha p´ró ar.



"A minha cachopa", Sérgio Godinho

1 comentário:

A Gi* disse...

Eu sou o segundo verso, ou era xD

*