quarta-feira, 5 de novembro de 2008

A Mulher por... René Magritte

Philosofy in the Boudouir (1947)
Magritte, René (Bélgica)


Eu sou do tempo em que a mulher

nem mostrava o tornozelo;
que apelo!

Depois, já rapazinho
vi as primeiras pernas de mulher
por sob a curta saia;
que gandaia!

A moda avança,
a saia sobe mais,
mostrando já joelhos
lupercais!

As fazendas com os anos,
se fazem mais leves,
e surgem figurinhas, pelas ruas,
mostrando as lindas formas quase nuas.

E a mania do sport
trouxe o short.

O short amigo,
que trouxe consigo,
o maiô de duas peças.

E logo, de audácia em audácia,
a natureza, ganhando terreno,
sugeriu o biquini,
o maiô, de pequeno, ficando mais pequeno
não se sabendo mais,
até onde um corpo branco,
pode ficar moreno.

Deus, a graça é imerecida,
Mas dai-me ainda
Uns aninhos de vida!


Poeminha de Louvor ao Strip-tease Secular, Millôr Fernandes

2 comentários:

Sophie disse...

Engraçado :D *

Pérola Escondida disse...

Estou-me a habituar a esta crónica semanal :-)

Para quando "A Mulher por ... Henry Michkin"?

Quero pertencer à lista das contempladas com um convite especial para essa apresentação! (hmmm ... ainda tenho esse direito, não tenho?)

Bjokas