terça-feira, 21 de outubro de 2008

A Mulher por... Salvador Dali

Sim, meu amor, está bem meu amor
Eu sei que tu tens razão
Dizia-te eu, às vezes, para acabar
Com a discussão…

E lá íamos vivendo,
Entre dois copos e um bom colchão,
Um futuro à nossa frente
E muito amor para mostrar a toda a gente.

Como era bem vivermos a dois
Sem nos darmos mal (uma canção estrangeira e um filme antigo no telejornal),
E uma noite tu disseste: Já dei p’ra ti meu… vou arrancar!
E lá fiquei eu, sózinho,
A conversar com os meus botões
E a tentar descobrir a causa
Que nos levou a tal situação…
Já achei uma ideia que é bem capaz
De ser a solução:
Acho que nós passamos muito tempo
A misturar tripas com coração
E a verdade é bem diferente.
Para haver amor, não pode haver obrigação
Obrigação, Jorge Palma

Canibalismo de Outono (1937)

Dali, Salvador (Espanha)

2 comentários:

em-fumeiro disse...

Actualmente, o Palma é o que mais parecido temos com Fernando Pessoa. Bêbedos é que são geniais...
P.S. - Mas, por favor, calem o "Encosta-te a Mim", que já não o posso ouvir...

Sophie disse...

Ultima frase a partir tudo :D

E comentando não só o teu post mas tb o comentario anterior ao meu digo: Eu tb sou mais genial qd estou bêbada :D hehehe

***