sábado, 11 de outubro de 2008

Como mandar o gajedo de volta para o fogão sem que elas se apercebam



Em 1932, numa entrevista concedida por Salazar a António Ferro, quando questionado quanto ao papel destinado às mulheres no Estado Novo, o ditador esclareceu da seguinte forma:



" Deixemos o homem a lutar com a vida no exterior, na rua... E a mulher a defendê-la, a trazê-la nos seus braços, no interior da casa... Não sei, afinal, qual dos dois terá o papel mais belo, mais alto e útil. "


O Longo Caminho das Mulheres - Feminismos 80 anos depois




Convenhamos minhas Sras., é inegável a obtusidade do conteúdo, mas há que dar valor à polidez da forma eheh...


5 comentários:

lothlorien disse...

Sim, sim, o senhor tinha o dom da palavra. Não deixava por isso de ser parvo...

Anónimo disse...

ser parvinho em lisboa tem pouco estilo...

Bela Isa disse...

desculpa entrar assim no teu espaço. Temos um amigo em comum, o em-fumeiro, que me falou do teu espaço e mais particularmente deste post... isto por uma qualquer coisa que surgiu numa conversa... pois bem, tive de vir espreitar... e... agora que vocês não têm assim tanto para proteger lá fora eu sou apologista de que o fogão (e já agora, o ferro, o pano de pó, etc etc etc) sejam controlados com igual fervor pelo homem e pela mulher... essa luta deve ser feita em conjunto! :)

www.apenasporquesim.blogspot.com

mjoão disse...

Ri-me com este post!
E ainda sorri mais ao ler o comentário da Isa, que conheço tão bem! E o qual corroboro :)

Até já a blogosfera parece um T1!

em-fumeiro disse...

Eina, tanta gente conheçida!!!